sábado, 4 de junho de 2016

Reforma política

Não dá para esperar alguma reforma política decente com esse parlamento corrupto e sem nenhum compromisso com o povo.
Não dá para esperar nada de um Judiciário que troca favores por aumento salarial.
Não dá para esperar nada do Executivo com ministros investigados e/ou processados.
Não dá para esperar nada de partidos comprometidos com toda corrupção, incompetência e falta de sintonia com os interesses da população.
O único caminho é o povo se organizar das mais diferentes formas para derrubar esse sistema, através de uma assembleia constituinte com candidaturas avulsas, que mude completamente a estrutura de Estado e o sistema político.
É hora também de contestar a República Federativa que nunca funcionou e só serviu para perpetuar no poder oligarquias regionais. O Império era unitário. E esse é o modelo que mais adequado ao país. Não a volta do Império, mas o estabelecimento de uma República Unitária.
É necessário reorganizar o legislativo no país todo, porque é caro e ineficiente. Extinguir o Senado e as assembleias legislativas estaduais.
Fazer com que os salários de parlamentares, juízes, presidente, governadores, prefeitos, vereadores sejam submetidos a plebiscito ou referendo obrigatoriamente.
Extinguir o Fundo Partidário. Quem deve financiar os partidos são seus filiados e não a população como um todo, que majoritariamente não é inscrita em nenhum partido.
E nenhuma ilusão com o sistema atual, com seu presidencialismo de coalizão.