terça-feira, 12 de abril de 2016

Quando o absurdo parece normal



É um absurdo o que está acontecendo. A Câmara Federal só discute o impeachment, a presidente da República se preocupa em como se livrar do impeachment, o Senado preparando=se para quando e se o impeachment chegar até ele.

Enquanto isso, todas as questões que dizem respeito ao cotidiano da população, como saúde, segurança e educação ficam relegados.

Nos estados ocorre a mesma coisa. Estados falidos, sistema de saúde abandonado, educação destroçada, haja vista a luta dos secundaristas por educação de qualidade. Repressão a estudantes por parte da polícia.

E uma corrupção gigantesca em todos os níveis.

O presidente da Câmara é réu e preside o processo de impeachment da presidente da República.

É surreal. E não há nenhuma instituição capaz de mudar isso. Os partidos absolutamente carentes de representatividade real e os movimentos sociais atrelados a governos.

Como construir um vasto movimento para mudar tudo isso?