terça-feira, 19 de abril de 2016

Aos que foram às ruas

Aos que foram às ruas endeusando o bom bandido
Os que foram às ruas pedir impeachment da presidente, vociferando que ela era corrupta devem estar bem satisfeitos com a dupla Temer/Cunha e com todos aqueles corruptos que votaram contra a corrupção.
A representante símbolo da campanha é a deputada que berrou sim várias vezes contra a corrupção e cujo marido, médico, foi preso na segunda-feira por corrupção. Marido e mulher são donos de hospital e lesavam o SUS.
Continuem indo às ruas de forma unilateral, acusando uns de corruptos e marchando galhardamente com outros corruptos, com orgulho e satisfação.
Continuem fazendo o papel de bobos e massa de manobra de interesses escusos, menores, os mais variados.
Continuem acreditando que corrupção acaba por milagre, bastando estar do lado certo da corrupção.
Continuem chamando de herói o notório corrupto Eduardo Cunha.
Continuem acreditando que a Lava Jato resolverá todos os problemas do Brasil.
E continuem fingindo não perceber que o problema fundamental do país é a gigantesca desigualdade social, fruto do domínio secular de castas privilegiadas que tomaram de assalto o Estado e o utilizam em seu permanente benefício.
Continuem falando cinicamente que Eduardo Cunha é seu bandido preferido e vocês continuaram sendo o que sempre foram: massa de manobra, embora se crendo protagonistas.
A corrupção precisa ir sendo superada ao longo do tempo com um Estado transformado, com intensa participação popular através de referendos, plebiscitos, audiências públicas e tudo inscrito em lei para não ficar ao sabor da vontade do governante de plantão.
Corrupção precisa ir sendo superada por um Estado cada vez mais transparente, com instrumentos contábeis mais eficientes, com auditorias permanentes, com controladorias mais bem aparelhadas, pela vigilância da população contra todos os corruptos e não seletivamente.
A corrupção vai sendo superada na medida em que a população vai tomando consciência de que vive num país que é o segundo maior sonegador de impostos do mundo, um dos mais desiguais em distribuição de renda, que ostenta níveis alarmantes de qualidade de ensino e que tem uma casta dirigente medíocre, mesquinha e que precisa ser combatida e escorraçada para que surja uma nova elite mais comprometida com o povo e com o país.
E finalmente, aos que marcharam e endeusaram Temer e Cunha, será que leram o documento do PMDB "Ponte para o futuro", no qual se anuncia o que será o governo Temer?
Lá está o que será o governo Temer: arrocho salarial, reforma da previdência que interessa a banqueiros, descompromisso com saúde e educação, através da desvinculação de receitas, ajuste fiscal profundo. E nem uma menção ao combate à corrupção. E nenhuma menção à auditoria da dívida pública como determina a Constituição. E nenhuma menção à tributação de grandes fortunas.
Mas, fiquem satisfeitos. Cunha, Temer e os oligarcas de sempre mandarão beijinhos para vocês. E viva a bandalheira nacional! Pedro Guilherme de Andrade.