quarta-feira, 30 de julho de 2014

Mais uma escola é bombardeada em Gaza

ONU condena ataque e volta a pedir cessar-fogo

fonte: ONU Brasil

Uma das escolas que a ONU mantém em Gaza. Foto: ONU/Shareef Sarhan
Mais uma escola da ONU – que servia de abrigo para os palestinos na Faixa de Gaza – foi atingida por bombas na manhã desta quarta-feira (30). “Isso é uma afronta a todos nós, uma fonte de vergonha universal. Hoje o mundo está em desgraça “, disse o comissário-geral da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA), Pierre Krähenbühl, ao visitar o local.

Uma avaliação inicial indica que a artilharia israelense atingiu a escola da UNRWA pelo menos três vezes. No local estavam 3.300 pessoas em busca de refúgio. Apesar de que ainda não se sabe quantas pessoas morreram, a Agência informou que há vários mortos e feridos civis, incluindo mulheres e crianças, além de um segurança da UNRWA que tentava proteger o local.
“A localização precisa da escola primária para meninas Jabalia, que abrigava milhares de pessoas deslocadas internamente, foi comunicada ao exército israelense 17 vezes com o objetivo de garantir sua proteção”, disse Krähenbühl, “sendo a última às 20h50 de terça-feira (29), poucas horas antes do bombardeio fatal”.
“Peço à comunidade internacional que tome medidas para pôr um fim imediato à esta carnificina.”
Também na terça-feira, um prédio que abrigava o Escritório do Coordenador Especial da ONU para o Processo de Paz no Oriente Médio (UNSCO) e do Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) foi atingido cinco vezes durante uma hora, informam fontes da ONU.
Dos 250 mil deslocadas em Gaza, cerca de 200 mil – 10% de toda a população do território – estão em 82 escolas que atualmente funcionam como abrigos da UNRWA.