sábado, 26 de julho de 2014

Carta da presidente nacional da Cruz Vermelha

Caros voluntários, membros, parceiros, doadores e ativistas humanitários da Cruz Vermelha Brasileira;

Estamos vivenciando um momento muito delicado na nossa instituição, que tanto amamos e nos dedicamos. Porém quero dizer que esta exposição tem sido necessária para que todos tomem ciência de que hoje a CVB tem uma gestão digna de seu trabalho e honesta em sua administração. 

A divulgação pública desse passado recente deve ser vista como um marco do que foi e que juntos não permitiremos que se repita. Três anos de gestão deficiente e corrupta em ações diretas e específicas não podem apagar outros de trabalhos relevantes da Cruz Vermelha Brasileira, desenvolvidos por nossas filiais em vários estados do Brasil, inclusive no desastre da Região Serrana, pela Filial Rio de Janeiro.

Por isso precisamos estar juntos e não desistir de nosso sonho de renovar, reconstruir e acima de tudo resgatar o belo trabalho desta intuição centenária. Sabemos que situações como está já ocorreram também em outros países do mundo. Isso prova que não podemos generalizar povo brasileiro como corrupto. Ao contrário somos uma nação sensível, solidária e comprometida com as mazelas da população e que sempre pôde acreditar na Cruz Vermelha Brasileira como uma organização séria e cumpridora de sua missão de ajuda humanitária. 
Lamentavelmente, em qualquer lugar, existirão sempre pessoas desonestas que aproveitarão da infelicidade alheia, em benefício próprio. Como algumas outras organizações respeitadas no Brasil, a CVB, também foi vítima desta falta de escrúpulos. Mas acreditando no entendimento público, fizemos o nosso papel em denunciar os desvios as autoridades competentes. Não podíamos assumir a direção da CVB fechando nossos olhos para o passado e sermos coniventes com tudo isto.

Agora é necessário responsabilizar pessoas e não a instituição que tem sua missão acima de qualquer conduta. Reflitam: a Cruz Vermelha é um BEM PÚBLICO e todos nós temos responsabilidades com ela. Este é um momento de reflexão e mais do que nunca de mãos à obra para limpar o nome da maior organização humanitária do mundo, no nosso pais. Não critique e fique de fora. 
Sua palavras em favor do belo trabalho, que você conhece e que a Cruz Vermelha Brasileira fez e sempre fará não pode ser sucumbido por atos inconseqüentes de uma minoria desonesta.
Juntos seremos mais forte nessa luta, onde cada membro da Cruz Vermelha Brasileira empunha sua bandeira com orgulho, dignidade e honra. 

Rosely Pimentel Sampaio
Presidente Nacional da Cruz Vermelha Brasileira