terça-feira, 27 de maio de 2014

Ronaldo, a Copa e o Governo

Ronaldo, no último minuto do segundo tempo, resolveu criticar todo o processo de organização da Copa e ao mesmo tempo anunciou que vai votar em Aécio Neves para presidente.


O estranho em tudo isso é que ele é um dos principais membros do Comitê Organizador da Copa - COL. Por que será que só agora percebeu como foi o processo de organização da Copa, depois que o Brasil todo percebeu e sendo ele um dos responsáveis por tudo? Por que não cobrou resultados e eficiência? Tinha e tem poder para isso.
O governo, na sua ânsia por palanque, cometeu um erro ao envolver-se em demasia com as várias etapas das obras, colocando-se sempre à frente dos preparativos para a Copa, quando havia um Comitê Organizador Local. Este é que deveria ser cobrado pelo andamento do que era necessário para o bom resultado.
O Governo preferiu ficar se mostrando como o responsável por tudo, juntando política e futebol de uma forma como nunca havia se visto neste país (parafraseando Lula) e acabou sendo cobrado ao invés de prudentemente manter uma distância da execução e cobrar resultados do COL, do qual Ronaldo faz parte.

Sua necessidade - do governo - de holofotes, as benesses do BNDES, a "incompetência" dos gestores das obras, a subordinação à Fifa, acabaram resultando no que se vê.  Até o Ronaldo querendo faturar sobre os desmandos que ele também não fez esforço para coibir ou cobrar a cada passo, já que sua autoridade permitia isso. O Governo está recebendo o resultado de sua voracidade e imprudência